FANDOM


Assinado em 02 de abril de 1268, a Paz de Cintra foi o tratado de paz que terminou a Segunda Guerra do Norte entre os Reinos do Norte e o Império Nilfgaardiano.

As negociações foram realizadas em Cintra entre os reis e príncipes do Norte, e os representantes do Imperador Emhyr var Emreis. Embora as negociações foram ostensivamente conduzido pelos monarcas, o tratado foi realmente trabalho da Loja das Feiticeiras usando seus poderes de persuasão com os vários governantes.

Negociadores

Disposições do Tratado

  • Dol Blathanna era para tornar-se um principado livre, autônomo, e jurar lealdade a Aedirn mas sem obrigações tributo,
  • Repatriamento do povo de Dol Blathanna, com a restauração dos direitos de propriedade e uma divisão equitativa dos recursos entre os humanos e elfos.
  • Comandantes Scoia'tael foram marcados como criminosos de guerra, e deveriam ser dadas audiências justas pelo Norte, conducentes a julgamentos ou anistia.

Resultado

  • O tratado enfraqueceu a posição de Nilfgaard como uma superpotência, perdendo a maior parte do comando do exército e as tropas, bem como os territórios anteriormente adquiridos.
  • Os maiores ganhos territoriais proporcionais foram os de Temeria.
  • As maiores perdas territoriais proporcionais foram as de Aedirn (se contarmos a autonomia de Dol Blathanna como uma perda territorial).
  • Teméria (as áreas do sul em torno de Maribor, Sodden e Brugge), Verden, Lyria e Aedirn tiveram de ser reconstruídas após a devastação causada pela guerra. Cidades inteiras foram destruídas, aldeias, castelos, fábricas, minas e indústrias tudo precisava ser reconstruído.
  • Redânia e Kaedwen tomaram parte na guerra, embora nenhum dos combates tiveram lugar em seu solo, não recebeu nada.
  • De todos os elfos que lutaram por Nilfgaard apenas cinquenta e cinco oficiais da brigada "Vrihedd", incluindo seu comandante coronel Isengrim Faoiltiarna e Iorveth, foram entregues aos Reinos do Norte e executados (apenas cinquenta e três deles foram executados - a parte superior mencionada conseguiu escapar do destino).
  • Os Jarls de Skellige tiveram que aceitar que não havia nenhuma razão real para lutar Nilfgaard mais.
  • Kovir reconciliou-se com a perda de lucros de seus empreendimentos oferecendo aos Redanianos suprimentos para a guerra contra Nilfgaard.
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.