Wiki The Witcher
Advertisement

As quiquimoras guerreiras, ou kikimoras guerreiras, são espécies especificas de quiquimora encontradas nas franquias de jogos eletrônicos da saga.

The Witcher 1

As Kikimoras guerreiras defendem as trabalhadoras e sua rainha de intrusos. Elas são muito meticulosas nisso, matando qualquer coisa que se aproxima da colônia. Afortunadamente, seu território é facilmente reconhecido, pois é desprovido de qualquer vida animal e cheio de esqueletos escolhidos. Mantenha os olhos abertos ao explorar o pântano!

Registro no Bestiário

Uma besta mais abominável é de fato difícil de encontrar. Não exatamente uma barata ou uma aranha, ela faz as damas desmaiarem e os cavalheiros se sentirem enojados. A Kikimora guerreira fede a pântano. Por esse motivo, eu insisto que o exemplar nº 88 seja removido do salão£o de reunião da universidade. E antecipando a pergunta "o que deve ser feito com ele então?", eu respondo: jogue-o na pilha de lixo.
De uma requisição submetida ao presidente da universidade de Oxenfurt

  • Ocorrência: Kikimora Guerreira protegem sua rainha e Kikimoras Operárias enquanto elas cavam túneis ou procuram comida.
  • Imunidade: Imune a maioria dos efeitos, inclusive cegueira; Resistentes a tentativas de derruba-las; Podem usar aromas para comunicar-se com outras Kikimoras.
  • Suscetibilidade: Sensíveis a prata e óleo insetóide.
  • Táticas: Durante o combate os guerreiros cospem ácido, cegando seus oponentes e causando uma dor insuportável
  • Alquimia: Traqueia, glândulas venenosas e toxina.

Galeria

Blood and Wine

Registro no Bestiário

Então a princesa kikimora invocou todas as suas irmãs leais e assim partiram! Hoje elas atacam o inimigo que tenta ferir sua rainha.
- "A princesa kikimora e os gigantes da montanha"
Cornelius Briggs (fábula infantil anã, fragmento)
Não se sabe exatamente como as kikimoras se comunicam entre si. Autópsias são difíceis devido à alta toxicidade dos espécimes. Estudiosos descobriram que kikimoras não parecem possuir nenhuma aurícula detectável. Um pesquisador amador, Conde di Salvaress, elaborou uma teoria em seu tratado "Um microscópio entre monstros", sugerindo que kikimoras desenvolveram uma grande capacidade olfativa e usam partículas transportadas pelo ar, indetectáveis pelos humanos, para transmitir informação. Essa teoria ainda precisa ser provada ou desacreditada.
Kikimoras guerreiras defendem seus ninhos de invasores. Elas atacam de forma mais lenta do que kikimoras trabalhadoras. São capazes de lançar jatos de veneno cáustico a grandes distâncias e saltarem para atacar. Esse veneno é bastante singular, pois reage ao corpo de um bruxo aumentando o nível da toxicidade da poção. Elas também são cobertas por uma proteção espessa e dura, que protege até contra golpes das espadas mais afiadas.
Kikimoras guerreiras são protegidas por enxames de trabalhadoras, que obedecem suas ordens até serem eliminadas.
Elas são completamente imunes aos efeitos do Sinal Axii, mas vulneráveis a Igni, óleos e bombas que ferem insectoides, além de golpes de espada de prata.
Advertisement